Arquivo para julho \30\UTC 2008

30
jul
08

Polvo de pobre

É políticamente incorreto, mas impossível deixar de rir. Recebi hoje no meu email.

Anúncios
29
jul
08

Festival Sushi Yoshi

Galera, esse post é enorme, mas como os pratos apresentados são japoneses, tiveram que ser muito bem explicados. Espero que gostem e provem.

Nos cem anos da imigração japonesa no Brasil, pratos especiais desembarcam nas mesas do Restaurante Sushi Yoshi, em Boa Viagem (Recife-PE). O mestre Masayoshi Matsumoto resolveu contemplar as oito regiões do Japão com suas sutilezas e criatividade, em festival que começou em 15 de julho e vai até 30 de novembro. O evento terá um cardápio exclusivo para cada região, com informações dos principais produtos cultivados na terra e pescados, além de suas festas típicas.

“O festival é dedicado para quem gosta de experimentar novos sabores com temperos típicos do Japão. É uma oportunidade do brasileiro descobrir ainda mais o potencial gastronômico nipônico”, afirma o mestre Masayoshi Matsumoto.

A região de Hókaido, a segunda maior ilha do País, irá abrir o evento, de 15 a 31 de julho. Alguns dos pratos que compõem o menu são o Kata-nuki Sake Sushi (sushi de salmão grelhado prensado na forma); Ishikari-nabe ou panelada de ishikari (salmão e legumes cozidos com pasta de soja); Lamen (macarrão de origem chinesa ensopado com salmão e milho) e o Niku-jaga (cozido de carne com batata, cebola e shoyu). 

Tohóku é a segunda província visitada, de 01 a 17 de agosto. As delícias da maior ilha do Nordeste do Japão serão apresentadas nos pratos Shigui-Yaki (berinjela assada e pasta de soja); Kai-no-misso-shiru (sopa de soja com marisco); Beko-Sushi (sushi na cor de casca de tartaruga); Ikano-Kimi-Su (sunomôno de lula com molho dourado); Tara-chiri (cozido de bacalhau com legumes) e Imoko Nabe (cozido de inhame japonês e filé).

O passeio prossegue de 19 a 31 de agosto, com destaque para Kantò, a maior planície do Japão, que já foi a região agrícola mais próspera daquele País. O mestre Masayoshi Matsumoto apresenta as inéditas sugestões dos pratos Kóhaku-Namasu (sunomôno branco e vermelho); Osumashi (sopa transparente); Hórenso no Goma-ae (espinafre com molho de soja doce e gergelin); Chirashi-Zushi (arroz de sushi na cuia com peixes e frutos do mar); Uma-don (inguia assada sobre arroz) e Udon-Suki (sukiyaki com macarrão udon).

A cozinha de Chubúregião central da principal ilha do Japão, banhada pelo oceano Pacífico e pelo Mar do Japão, terá vez de 01 a 14 de setembro, com os pratos Maguro-Karashi-Su-Misso (sunomôno de atum com misso e mostarda); Ebi-Fried (camarão milanesa com molho); Bara Zushi (sushi solto); Tempura-udon (macarrão udon, ensopado com tempura) e Katsu Cury (caldo de cury com arroz e filé a milanesa).

De 16 a 30 de setembro, a região de Kansai irá representar a culinária japonesa no Sushi Yoshi. Para homenageá-la, o chef Masayoshi Matsumoto irá preparar seis sugestões de pratos – o Harussame no Sunomôno (sunomôno com pepino e macarrão transparente); Tako-Yaki (bolinho de polvo); Chawan-mushi (flan de ovo); Temari-Zushi (sushi de bola); Yose-Nabe (panelada de filé, frango e pexie, frutos do mar com legumes) e o Sukiyaki (sukiyaki de carne de frango moída em formato de almôndega).

Já de 1º a 11 de outubro, o festival apresenta a cozinha da região Chugoku. Afastada dos grandes centros do Japão, seu nome significa país do meio. Será representada com o Su-Kaki (ostra com molho ponjzu); Missoshiru-usuague-iri  (sopa de pasta de soja com queijo de soja frito);  Hatsuka-daikon-baichu (sunomôno de rabanete); Okonom-Yaki (legumes, filé, frango e frutos do mar sobre pizza japonesa com base de molho inglês) e Dote-Nabe (panelada de legumes e ostra na pasta de soja).

No último mês do festival, de 1º a 11 de novembro, a região de Shikoku, no sul do Japão – quarta maior do País – será a homenageada. No menu, Wakame no Sunomôno (sunomôno de pepino com alga wakame); Tsukudani (atum coziado adocicado); Maguro Tataki (atum gelado com ervas, alho e molho nihaizu); Yakizazkana-Chisrahi-Zushi (sushi de peixe assado); Kitsune Udon (macarrão ensopado com queijo de soja frito) e Hakusi no Goma (acelga cozida no molho de shoyu doce com gergelin).

Para encerrar, de 18 a 30 de novembro, o Sushi Yoshi celebra as regiões de Kyusu & Okinawa, com os  pratos Kiwi-no Nihaizu (sunomôno de kiwi); Yaki-Udon (macarrão udon preparado na chapa com molho shoyo); Ómura-Zushi  (sushi prensado); Sara-Udon (macarrão frito com legumes, filé, frango e frutos do mar) e o Tori No Mizu-Taki (cozido de frango na água e servido molho à parte). Okinawa localiza-se ao Sul do Japão e suas praias são bastante disputadas pelos japoneses por causa do clima e dos resorts instalados no local.

Ishikari-nabe: Prato da região de Hokaido.

 

Serviço:

Festival Centenário da Imigração Japonesa do Brasil

De 15/07 a 30/11

Restaurante Sushi Yoshi

Rua Padre Luiz Marques Teixeira, 155 – Boa Viagem – Recife-PE

Fone: (81) 3462.2748

Almoço: das 12h às 15 e Jantar: das 19h a 0h

Aceita todos os cartões

 

28
jul
08

Jantar

Sexta passada, pilotei um jantarzinho para uns amigos e inventei de fazer uma degustacão já que o menu era de frutos de mar (e um pouco de carne). Adorei fazer e foi tudo ótimo, mas que trabalheira!!!! Atenção zero aos convidados, mesmo com muita preparação anterior, até porque é impossível cozinhar um menu desses antecipadamente.

Fiz 3 entradinhas que fizeram muito sucesso:

Barquinhos de lagosta c/ sour cream, raspas de limão siciliano e caviar de tapioca (o caviar só não pegou direito a cor).

Torradinhas de brie com geléia (meio batido, mas agrada a todo mundo e usei geléia de vinho malbec).

Mini Ciabatta recheado com filé ao molho madeira, molho blue cheese (gorgonzola) e lascas de parmesão.

O menu do jantar segue abaixo:

Vieiras grelhadas c/ espuma de ostras e côco e crocante de alho-poró e coentro.

Polvo salteado (c/ alcaparras, cebola e bacon) c/ molho de pimentões e açafrão e batatinhas confit.

Camarão grelhado c/ molho de tomates sobre purê de batatas e alho poró.

Para os alérgicos: Lascas de filé ao madeira c/ purê de batatas ao parmesão.

Só faltou a foto da sobremesa, mas já tava meio bebinho e esqueci, heheheh! Mas foi uma taça de macarons, c/ sorvete de macadâmia e calda de chocolate ou morango c/ amoras.

23
jul
08

Villa apresenta novos pratos

 

O restaurante Villa completou um ano de funcionamento, e além de ter no comando o chef Joca Pontes, eleito o melhor chef do ano duas vezes consecultivas (2007 e 2008 ) pela Revista Veja Recife, tornou-se um dos preferidos do pernambucano para o almoço e jantar. Na casa, é comum encontrar políticos, empresários, jornalistas e profissionais liberais que a elegeram como point de encontros diários. Para prestigiar os seus fiéis clientes, Joca Pontes apresenta um cardápio repaginado com 14 novas sugestões entre entradas, pratos leves e saladas, massas, risotos, principais e sobremesas.

 As novas opções no menu seguem a proposta de incentivar uma saborosa viagem pelos sabores cotidianos da cozinha bistrô de origem francesa. Para começar estão as inéditas entradinhas, como o Carpaccio de Salmão, O Vol-au-vent  (camarão gratinado ao molho mornay); O Gratinée à L’oignon (sopa de cebola à francesa, gratinada com torradas e queijo gruyère).

 Duas novas massas foram incluídas: o Penne Rigate e o Spaguettini Crevette. Ainda há um novo risoto, batizado de Arroz Poulet (a base de arroz shitakes na manteiga de alho, com tiras de peito de frango grelhadas, ovo, cebolinho, sakê, molho oriental, gengibre e gergelim torrado. Acompanha batata chips). No prato principal, o chef Joca Pontes incluiu as sugestões Poulet Rôti,  Steak Frites e Costelinhas de Cordeiro. Todos os pratos criados com o rigor de Joca Pontes de mesclar sabores, muitas vezes inusitados, e resultando em deliciosas combinações.

Nas sobremesas, sempre um capítulo à parte das criações de Joca Pontes, ele lança a Cartola Vol-au-vent (massa folhada recheada com queijo de manteiga e banana frita, mel de engenho com canela e sorvete de creme). Isto prova cada vez mais que Joca reencontra-se com suas origens pernambucanas, sem perder o sotaque francês das criações de sua cozinha.

 

 

Serviço:

Restaurante Villa

Rua da Hora, 330, Espinheiro

Telefone: (81) 3426.2902

Almoço: domingo a sexta das 12h às 15h

Jantar: segunda a sábado a partir das 18h

Aceita Diners, Mastercard e Visa

Cartões de débito Cheque eletrônico, Maestro, Redeshop e Visa Electron

22
jul
08

Geléias Especiais

A Casa dos Frios passa a representar, com exclusividade, no Recife as tradicionais geléias produzidas pela famosa marca A Senhora das Especiarias, uma fábrica artesanal que funciona em um famoso casarão rosado de Gonçalo-MG, endeusadas pelo chef de cozinha Olivier Anquier e reconhecidas nacionalmente pela qualidade do produto. A delicatessen (Rui Barbosa e Boa viagem) já tem em suas prateleiras 19 tipos do produto e ainda quatro antepastos da mesma marca. As geléias custam, dependendo de cada sabor, de R$ 11,90 a R$ 13,00.

As geléias artesanais são mais um desafio para chefs de cozinha e para quem gosta de cardápios com novidades. Elas podem ser usadas de várias formas e a Casa dos Frios vem distribuindo com sua clientela receitas alternativas de molhos para: lombo recheado, brownie, queijos, folhados, churros, filés e até manteigas e caipirinhas incrementadas com a iguaria.

Os sabores são variados e alguns até excêntricos: geléia de café, por exemplo, original e brasileiríssima, de sabor encorpado e ao mesmo tempo leve. A de cachaça, a única cachaça politicamente correta no café-da-manhã, de sabor marcante e com raspas de limão. Erva-doce, com sabor suave, é uma das mais sofisticadas. Chá-verde agrada aos paladares mais exigentes, com aroma ideal para acompanhar aquele chá da tarde. Mas existe ainda outros  sabores já presentes nas prateleiras da Casa dos Frios como ervas finas; pimenta com alecrim, hisbisco, abacaxi com pimenta, abacaxi com hortelã, laranja com gengibre, cremosa com limão, jasmim e rosas.

Segundo Izabel Dias,  responsável pela cozinha da Casa dos Frios, as geléias artesanais da marca são um achado para os chefs: “são práticas e levam à inventividade”, afirma, lembrando que existem mil e uma formas de usar o produto: desde uma costela de javali dourada no pimentão, com geléia de ervas finas, a manteigas preparadas artesanalmente, incrementadas com geléia de laranja com gengibre ou geléia de pimenta e alecrim.

21
jul
08

Ponte Nova abre para almoço

 

Quem trabalha na Zona Sul do Recife a partir de agora tem uma boa opção para almoçar e fazer aquela agradável reunião de negócios. Tudo acompanhado de uma excelente culinária francesa com sotaque pernambucano. Isto porque para comemorar os quatro anos de funcionamento do restaurante Ponte Nova, em Boa Viagem, o chef Joca Pontes agora abre a casa para almoço desde o dia 9 de junho, de segunda a sexta. No cardápio, 22 novas sugestões entre entradas, saladas, sanduíches, principais e sobremesas. São opções onde o Chef inclui ingredientes como queijo de coalho, coentro, batata doce, feijão verde e jerimum.

Os pratos principais do almoço foram pensados e criados para serem servidos mais rápido que o normal. O chef incluiu seis opções de carnes grelhadas na chapa (filé de tilápia, filé de salmão, camarões, filé de frango, medalhões de filé e cordeiro prensado), com sugestões de oito acompanhamentos, seis complementos e cinco molhos, deixando o cliente livre para montar seu pedido. E o melhor: com preços de R$ 22 a R$ 34, valores bem convidativos em se tratando de um restaurante como o Ponte Nova, uma cozinha de tendência, e o “brinde” de um prato principal no almoço a cada jantar de R$ 100.

Na hora da sobremesa, as opções são o Café Gourmet (café expresso com mini creme brûlée e colher de ganache de chocolate meio amargo com morangos e crumble); Creme Brûlée de goiaba (com queijo parmesão); Crumble de maçã (maçã caramelada com damascos, amêndoas e canela, cobertos com farfofa crocante e sorvete de creme); Capuccino aux fruits rouges (coulis de morangos frescos, amoras e framboesas, sorvete de baunilha e creme mascarpone coberto de crumble) e o Creme de Papaya Pont Neuf (mamão batido com sorvete de creme, coulis de tamarindo, coberto com crumble e finalizado com licor francês de cassis).

 

 

Serviço:

Restaurante Ponte Nova

Rua Bruno Veloso, 528, Boa Viagem

Almoço de segunda a sexta das 12h às 15h

Jantar de segunda a sábado das 19h30 à 1h

Telefone: 3327.7226

17
jul
08

Iguaria baiana + guaiamum = Socaldinho

Socaldinho Guaiamum (Pina e Piedade) é um dos poucos restaurantes do Recife que, embora tenha sido aberto tendo como carro-chefe caldinhos de feijão, peixe e outras variedades, serve também Lambreta, espécie de ostra aberta, típica representante da cozinha baiana. É ainda um dos poucos espaços que mantém o caritó para engorda de guaiamuns, atendendo o desejo dos adeptos do crustáceo, na prática de escolher o bicho que logo mais é servido em suas mesas.

Conhecedor de todos os procedimentos, o propietário confidencia para os que curtem degustar a iguaria, que guaiamum gordo, sevado, alimentado no ponto para ser degustado é aquele que apresenta o “cabelo galego”. Ou seja: quem for escolher o bicho para comer, deve ser, digamos, meio preconceituoso e optar sempre pelos “galegos” (termo que significa loiro para nossa região).

O Socaldinho Guaiamum já tem até confraria, turma de amigos que marcam para degustar  o crustáceo na casa: todas as quartas-feiras. O espaço também movimenta ofertas de ostras frescas e cuidadosamente servidas com limão e azeite. Estas vem do Rio Grande do Norte e são cultivadas em Paulista. “Depois de um processo que envolve seis dias, as ostras frescas abastecem, diariamente, o Socaldinho” lembra o empresário.

Patola à milanesa – Foto: Gonzalo Parra